Departamentos

O Departamento

O primeiro regimento da Unicamp deu aos departamentos a responsabilidade pelo ensino de graduação, implicando que cada Instituto ou Faculdade precisava ter departamentos para esse fim. Inicialmente o IQ propôs quatro departamentos, um para cada área fundamental da Química. Mas, devido ao tamanho do corpo docente naquela época, a proposta não foi aprovada pelas instâncias superiores e, em 1970, foram estabelecidos dois departamentos: o de Química Orgânica e o de Química Fundamental. Em 1973 o nome deste último mudou para Departamento de Química Analítica, Química Inorgânica e Físico-Química. 

O Instituto cresceu, a grande maioria dos seus professores atuava em tempo integral e possuía um programa de destaque em pós-graduação, um dos poucos na época no Brasil que oferecia mestrado e doutorado nas quatro áreas de química. Sendo assim, em 1980, uma reunião do corpo docente discutiu e aprovou a divisão do Departamento de Química Analítica, Química Inorgânica e Físico-Química em três, resultando em quatro departamentos: Química Analítica, Química Inorgânica, Química Orgânica e Físico-Química, como havia sido proposta uma década antes. Essa proposta foi encaminhada aos órgãos superiores da universidade e, em julho de 1983, foi aprovada pela Câmara Curricular da Unicamp.

O Instituto não aguardou a aprovação final da proposta de criação de quatro departamentos para iniciar sua atuação. Quase imediatamente, os professores do antigo Departamento de Química Analítica, Química Inorgânica e Físico-Química tiveram de escolher em qual dos três departamentos queriam se afiliar, com a implicação de que o departamento escolhido definiria a área na qual ministrariam aulas de graduação.    Leia mais...

(Fonte: Histórico DQA)